Para quem curtiu os últimos três AXE Matte Effect Tour, com certeza vai gostar no #4 da série que tem Berlin como cidade desbravada por mim, com dicas de lugares legais que permeiam pelo meu lifestyle e as brincadeiras que curto de coisas antigas e por que não falar de automobilismo, já que estamos na famosa Alemanha, o país das Autobahn que em muitos lugares têm velocidade ilimitada para acelerar o seu brinquedo? Não acelerei, mas há uma dica valiosa para ver os clássicos modelos de Porsche, Mercedes Benz, BMW, Jaguar, etc…

 

// 10:00h
Feira Livre de Antiguidades / Der Grosse Berliner Trödelmarkt
Strasse des 17 Juni 
Como vocês viram na semana passada, fui a convite da Heineken assistir a final da Champions League entre Barça e Juve em plena sexta-feira. Como é de costume por todos os lados, as feirinhas de antiguidades acontecem entre sábado e domingo. É só buscar que vocês acham…. e foi o que fiz. Busquei, me programei e fui.
Acorde e vá bater perna por essas barracas que têm preciosidades. É só ter um bom olho e boas referências, além de imaginar aquelas peças em meio a tantas outras fora dali, seja na sua estante, na mesa de centro ou até enquadrada. É isso que pratico desde que comecei a frequentar esse tipo de feirinha há mais de 8 anos.
Tome um café da manhã em um dos foodtrucks espalhados pela feira. No meu caso, comi alguns Bretzels e o bom e velho café antes de começar. O dia era de sol e uma manhã fresca… é extremamente agradável ficar sentado em alguma das mesinhas que os foodtrucks oferecem e ver as pessoas de rolê pela feira e enxergando costumes de outros povos, nesse caso, os alemães em sua maioria.
Por lá encontrei muita coisa que não vejo nas feiras daqui. Relógios incríveis na barraca de um senhor simpático chamada Alte Armbanduhren, que em alemão significa “antigos relógios de pulso”, em sua maioria das décadas de 30 a 80. Alguns Heuer’s Autavia sensacionais, Rolex com aquela patina que só o tempo é capaz de dar, Omega, Longines, uma infinidade, mas confesso que o preço por lá não é dos melhores. Em conversa com um amigo alemão da época que estudei na Suíça, ele contou que hoje o lugar bom de comprar relógios antigos é em Viena. AXE Matte Effect Tour / Viena? Um dia…
Fiquem ligados também nas peças como facas, tesouras, placas, isso para não falar nos lustres, móveis e espelhos. O difícil desses últimos objetos é trazer pra casa sem danos ou sem a alfândega te encher o saco na chegada.

Mesmo com os preços altos do relógios na capital alemã, bem próximo ao endereço da feira livre, há a Leopold Jewellery. Foi lá que pessoalmente vi um dos Rolex mais bonitos. Em livros é fácil, mas achar umas raridades assim, é difícil. Com o mostrador preto em textura honeycomb, detalhes em vermelho, tanto na minutagem quanto abaixo do Datejust e na data, fazem do relógio uma raridade, mas o preço também estava raro. Quer saber? Se liga aqui então.

Onde:
Feira: Strasse des 17 Juni
Leopold Jewellery

 

 

 

// 13:00h
Museumsinsel
Como a ideia dos Tour’s é do que fazer em um dia, não tive tempo de me especializar no metrô por lá, então acabei pegando taxi, que custava em média €20 cada corrida. Na saída, vá de taxi sentido a Victory Column e o portão de Brandemburgo, passe por esses dois marcos da cidade, veja e fotografe. A mesma avenida vai te levar ao que eles chamam de Museumsinsel, a Ilha dos Museus na tradução.
Lá você vai encontrar a Catedral de Berlin no Lustgarten que vale a visita e uma caminhada sem pressa. Não se deixe enganar pelos números de degraus que a cada “barreira” te informa quantos faltam até o domo da imponente catedral. A vista lá de cima é muito bonita e no meu caso, valeu muito subir pois dá para ver o interior da Catedral que estava fechada por alguma razão.
Ainda na ilha não deixe de visitar o Pergamon Museum que abriga o também imponente portão da Babilônia de 604 ac. Demais, não?
Se tiver tempo e o passo for bom, conheça o Neues Museum e Altes Museum que também valem a pena.

Onde:
Museumsinsel
www.smb.museum

VC_-07062015_DSF9880

 

// 15:00h
Lutter & Wagner
Ainda a pé, saia da Ilha dos Museus em direção ao portão de Brandemburgo. Tudo numa pegada “bater perna e conhecer a cidade” sem pressa. Chegue ao Lutter & Wagner. Com mais de 200 anos de história, próximo a Mite – meio em alemão, no coração de Berlin. O restaurante carrega histórias e um ótimo Schnitzel mit Kartoffelsalat. Conhecido aqui no Brasil como o bom é velho bife a milanesa com salada de batata, lá eles servem tudo com muito primor. Pedi de entrada um Tartar de carne, mas comida crua por essas bandas da Europa não lá a melhor coisa.
Essa também foi dica do Julian, amigo que encontrei antes do jogo do Barça e o mesmo que deu a dica dos relógios em Viena. Nascido em Hamburgo e morador de Berlin/Londres há anos. Ou seja, sabe bem…

Onde:
CharlottenStrasse, 56
restaurantlutterundwagner.de

VC_-06062015_DSF9847

 

// 17:00h
Classic Remise
Em um outro post, falando mais sobre esse achado de Berlin, explico a forma sensacional que descobri esse “templo” dos amantes de carro.
Imagine um galpão em vidro e tijolos aparentes construído em 1899, recheado de carros antigos. Imaginou? Agora imagina Porsche 356, Jaguar E Type, Mercedes Benz “asa de gaiovota”, Targa, e todos os outros que você puder imaginar. Tudo isso x 10. É isso que a Classic Remise tem, um mix de oficina com garagem de amantes de carros antigos que a cada ano se tornam mais especiais, com lojas de peças, … um Car Center.
Não se paga nada para entrar e pode bater perna a vontade entre modelos do início do século até os mais atuais. Nas fotos dá para entender melhor, pois explicar mais do que isso é difícil. Confesso que fiquei em choque quando entrei. Não conseguia parar de fotografar e ver cada detalhe de cada carro que achei que nunca iria ver de perto. Extremamente sensacional. Se liga…

Onde:
Lieber Strasse, 36
remise.de

VC_-07062015_DSF9897

 

// 19:00h
Rolê em Kreuzberg / Neuköln
Eu estava ficando em Neuköln, um bairro mais afastado, mas ao lado de Kreuzberg, hoje considerado o bairro hipster de Berlin. É lá que está toda aquela mistura cultural que vemos em Williamsburg no Brooklyn de NY por exemplo. Pessoas estilosas, cabelos, jeitos e bares espalhados por todo lado. Gente realmente cool andando pra lá e pra cá no bairro que após a queda do muro, com sua decadência por estar às margens da região até então muito complicada, foi “colonizado” pelos turcos como uma manobra do governo alemão para gerar mão de obra para uma Alemanha quebrada. É lá aonde tudo acontece e aonde estão grande parte das boas noitadas de Berlin como a famosa e turística Watergate, a disputada e cool Berghain / Panorama Bar e a minha descoberta dessa vez, a Salon Zur wilden Renate que falo mais abaixo. Comece o rolê pela Oranientstrasse ou em Kottbusser Tor e se perca pelas ruas com a ajuda do seu Google Maps que mesmo sem o 3G, se você abrir ele em uma rede, depois ele consegue te ajudar mesmo “offline”, mostrando aonde você está e aonde pode ir. Só não é possível calcular distâncias e buscar algo a sua volta.
A ideia é se hospedar nessa região que tem de tudo e é o lugar mais legal para estar em Berlin hoje. Então dê seu rolê e volte para o seu hotel, casa ou hostel para dar uma descansada e deixar as coisas legais que você comprou na feirinha e está carregando desde as 10h da manhã.

Onde:
Kottbusser Tor – todo mundo sabe aonde é.

 Screen Shot 2015-06-18 at 1.00.24 PM

 

// 21:00h
Muro de Berlin/East Side Gallery + Noitada
De banho tomado e descansado, mantenha-se em Kreuzberg e coma um dos famosos Dönner Kebab, influência turca por toda parte da Europa, mais especificamente na Alemanha devido à manobra do governo que falei acima.
Pode chamar de churrasco grego como é conhecido aqui no Brasil ou chamar do que for, mas não há nada mais saboroso do que aquela carne de cordeiro que fica horas no calor cozinhando enrolada com salada e molhos que só os turcos sabem fazer. Esse vai ser o seu jantar, ou no meu caso, o almoço, o pós balada. É realmente muito bom e está essa;lado por todo lugar!
Se encontre em algum dos bares de Kreuzberg e dê início à noite, que em Berlin não necessariamente acaba por volta das 5h da manhã como aqui no Brasil. Lá a cena da noite é completamente diferente de tudo o que vocês já viu, com baladas que começam as 2h da manhã e acabam ao meio dia… é bem por ai e não se assuste. A cena eletrônica em Berlin é levada muito a sério e as pessoas vão a clubes e baladas para dançar e não para bater papo e flertar. Ou seja, coloque o seu tênis e roupa mais confortáveis e se divirta!

Após o Dönner Kebab e as cervejas e os Gin&Tonics que você tomou no bar, pegue uma bike ou um taxi e vá até a Oberbaumbrücke, a ponte que dá início ao East Side Gallery que é a galeria de arte dos grafitis na parte do muro de Berlin que ainda está de pé. Não fui de manhã, mas acredito que o rolê a noite tem mais charme, menos gente e aquela sensação e clima mais pesado de filme, sabe? Não há do que ter medo, caminhe e se divirta em paz olhando os grafitis que em sua maioria são de críticas ao que nada mudou, mesmo após a guerra de Hitler, e o que acontece hoje em dia. Realmente nada mudou, somente ações de maldades mais silenciosas.

Aproveite o rolê até o final dos grafitis e entre a direita na Strasse der Pariser Kommune até chegar no Berghein / Panorama Bar. Dito como uma das baladas mais difíceis de entrar pois a seleção é bem chata quando se chega a porta. Fui com um amigo local e chegamos às 2:20h. Um companheiro seu na porta o informou dizendo que só podia chegar até as 2am. Ele até conversou perguntando se havíamos sido barrados, mas não, a regra da casa das 2am é seguida à risca. Que pena, não foi desta vez!
Em compensação no dia anterior, na sexta após a vitória do Barça, fui a uma balada muito legal como indicação de uma amizade feita no aeroporto de Berlin. Trata-se de Salon Zur Wilden Renate. Uma balada extremamente cool, cheia de gente legal e cheias de estilo e um prédio abandonado com uma área externa espetacular. Na entrada um barber pole – aqueles de barbearias, sabe? No caixa após pago os €6 de entrada – sim, as baladas não têm entradas caríssimas como aqui no Brasil, fui informado de que não se pode fotografar. Consegui alguma coisa e mostro aqui pra vocês. Na parte externa um carro abandonado com um jardim no lugar do motor, um piano branco caindo aos pedaços e um barco que cabem mais ou menos 10 pessoas como um grande balanço. Já achei demais e fui me perdendo pelo prédio com cara de abandonado que se não me engano tem 4 pistas de dança. Sim, lá se dança e não se bate papo e nem se flerta como mencionei acima. Ou seja, dance ao som de música eletrônica da melhor qualidade, além da vibe da galera que não te deixa parado.

Onde:
East Side Gallery

Salon Zur Wilden Renate
Berghain / Panorama Bar
Watergate

VC_IMG_9254

Depois dizem que Berlin tem um clima pesado…

Fotos: @victorcollor