Já tem um tempo que passo na frente do FishBar, ali no final da Al.Tietê quase na esquina do Dry com a Padre João Manoel e lembro dos convites que a minha querida Patricia Saraiva me fez para conhecer o lugar. Os convites vieram porque um dos sócios e o seu irmão gente fina e hoje um sujeito boa praça, Pingo. Finalmente na semana passada fomos lá!
Como passei algumas vezes na frente, achei que o lugar tinha uma pegada mais despretensiosa, com comida também nessa pegada. Me enganei!

Chegamos lá por volta das 09pm e o lugar já estava com mais da metade de suas mesas cheias. Logo na entrada vi que o serviço de bar é levado a sério por lá por eles terem um bar bem recheado e imponente para o tamanho do lugar. Não tomei nada do bar, mas em uma segunda vez com certeza irei provar para contar aqui.
Sentamos em uma das simpáticas mesas no sofá o então comecei a perceber um pouco da decoração. Por ter essa pegada de peixe como o nome já diz, a ideia da decoração segue por essa mesma linha. Escada de madeira que leva ao espaço para eventos no segundo andar, remos na parede, projetos de criação de barcos, jogo americano em palha, que mais atrapalha do que ajuda e teto em madeira. Nas mesas, uma iluminação com vela que faz um ambiente, mas achei com muita cara de artesanato… se é ou não, eu não sei.

No bate papo, Patricia me contou que o Chef era catalão e que iria chamá-lo para batermos um papo. Vi ai que temos um catalão na cozinha e a “coisa” poderia ser outra… para melhor!
Vimos o cardápio e com a ideia de pratos, pedimos um vinho rosé espanhol para dar início às atividades.
Estava ótimo e logo chegou o couvert a mesa:

Couvert:
Pães variados (focaccia, cenoura, mini francês e crostini)
Azeitonas Kalamata recheadas de Creme de Aliche
Dip de Brandada de Bacalhau com ragu de Berinjela
Manteiga de ervas
Azeite importado

> Quanta coisa né? Os pães são fresquinhos, senti falta do aliche nas azeitonas e o dip de brandada de bacalhau é um pouco massudo, mas a mistura com o ragu de berinjela fica bom.
Mantém o azeite na mesa que você vai entender mais pra baixo…
Ao invés de pedir pratos separados, pedimos vários no centro da mesa para dividir. Tudo isso muito bem organizado pelo simpático Wendel, que me pareceu ser do alto escalão da brigada de garçons do restaurante.

Carpaccio de Peixe Branco
Vinagrete de Pinolis, Limão Siciliano, Flor de sal e Ovas de Salmão
> Quando chegou a mesa me impressionou a forma de apresentação em uma pedra. Foi aí mais uma vez que ví que não era um restaurante tão despretensioso como imaginei. O vinagrete é bem saboroso, mas como são duas camadas de peixe, a segunda camada faltou um pouco do vinagrete.
Aproveita e pega o azeite do couvert para banhar o peixe que é bem fresco e suave, ou pede mais vinagrete…

Gambas “al ajillo”
Camarão no alho e óleo
> Chega a mesa em uma panelinha com óleo ainda fervendo.Como falei aqui, o camarão do Adega Santiago é quase imbatível, mas o tempero deste aqui é muito bom também, mas achei os camarões muito pequeninos, que acaba não dando tanto gosto ao prato. A pimenta dedo de moça faz a diferença, mas ainda assim achei que o alho estava muito passado.
Obs. Depois de bater um papo com o Chef, ele disse que foi um erro pontual o alho ter vindo muito passado.

Lulinhas Frescas na Chapa
com alho e salsinha
> São lulinhas mesmo, bem pequeninas, que são mais saborosas do que as maiores e difíceis de achar. Também pedi esse prato com a ideia de comparar com a lula na chapa do Taberna 474. Essa aqui é ótima e ainda por cima vem com um toque de alioli, que falarei a respeito no próximo prato.

Escondidinho de Polvo
Purê de batata no azeite de oliva, berinjela na brasa e espuma de alioli
> A Patricia disse que esse era o prato que ela mais tinha gostado até então e por isso fomos nele. É impecável! Primeiro o alioli é alioli de verdade com bastante alho, assim como fazem os catalães, sabe? O purê é bem suave e o polvo muito macio, além do toque de berinjela!!!
Se for o caso pede mais alioli, entendeu?

 

Fazer um Conhecendo depois de tudo isso, tem que ter uma sobremesa, certo? Então vamos lá.

Ferrugem
Bolinhos de chocolate belga quentes, açúcar de especiarias e sorvete de gengibre.
> O Pingo veio a mesa e me perguntou se poderia indicar a sobremesa! Lá fomos nós!
Os bolinhos são ótimos, estouram na boca e quando misturado ao sorvete de gengibre ficam melhores ainda. Perguntei de onde era o sorvete e o segredo foi mantido…
Ainda para acompanhar a sobremesa, o Wendel me perguntou se aceitaria um Portinho… ótimo!

Depois de tudo isso ainda ficamos batendo papo com o Chef catalão Oscar Bosch que já passou pelo famoso El Bulli do Ferran Adrià e o El Celler de Can Roca em Girona, em que o Daniel Redondo, do Maní também passou, lugar inclusive onde os dois se conheceram. Batemos muito papo e fiquei de voltar lá para comer a rabada desossada que fiquei bem curioso para saber como é… já que ela não está no cardápio o Oscar me deu seu cartão para quando voltar, ligar e pedir com antecedência. Voltarei logo logo! rsss

Serviço:
Fish Bar
Alameda Tietê, 40, Jardins
Tel: 11 4306 3474
fishbar.com.br
Preço sugerido: $$$ (R$91 a R$150)

Olha o vídeo que os caras fizeram:

É bom achar que é uma coisa e ser outra completemente diferente e melhor!

Fotos: @victorcollor