VIC&CO COPYRIGHT 2019. ALL RIGHTS RESERVED.

Prateleira

Daniel Craig segue como James Bond

Created: 26 jul 2017  / Categories: Prateleira

Que recomecem os trabalhos. Daniel Craig interpretará mais uma vez o agente secreto mais famoso do mundo.

 

Ao que tudo indicava, a participação de Craig como James Bond havia encerrado em SPECTRE, o último filme lançado em 2015. Houve muita especulação sobre quem seria o próximo ator a encarnar o agente secreto. Quando falo em encarnar é o fato que muitos atores, após anos carregando a sigla 007, reclamam que ficam muito inserido no papel e são lembrados somente por esse trabalho. Antes de Craig, houve boatos que Clive Owen teria sido procurado para interpretar o agente. Com uma negativa, o ator comentou que não queria ficar com a eterna chancela que todos atores carregam até o fim de suas vidas. Entendo parte dessa reclamação, mas sem dúvida esse é um sinal de sucesso.

 

"Eu preferiria quebrar esse copo e cortar Meus pulsos " foi essa a frase que ficou famosa junto ao lançamento de SPECTRE. Em uma entrevista, Craig havia informado que queria seguir em frente e colocar um ponto final na trajetória de quase 10 anos e 4 filmes rodados.

Em nota, o New York Times informou que em conversa com duas pessoas da MGM e da EON Productions, que preferem manter o anonimato, que foi um acordo muito bem amarrado.

De duas, uma: Ou o acordo não estava mais satisfazendo Mr. Craig, ou ambas companhias não encontraram uma pessoa exata para o papel e ficaram com medo de dar um passo para frente e dois para trás.

 

Na última segunda feira, a Eon Productions, a empresa com sede em Londres que supervisiona todas os direitos da marca 007, e a Metro-Goldwyn-Mayer, que detém direitos sobre a franquia, disseram que o filme de número 25 da maior saga do cinema chegará às telonas no dia 8 de Novembro de 2019.

Vamos aguardar...

 

Abaixo, coloquei as fotos de Daniel Criag feitas por Annie Leibovitz para a Vanity Fair em 2012 como divulgação de Skyfall. Sem dúvida, uma das séries de fotos mais bonitas de Craig enquanto Bond.

 


VIC&CO. Post #005

Created: 29 jun 2017  / Categories: Prateleira

Mais uma edição do VIC&CO. Post na rua. Desta vez com Lais Oliveira estampando a capa e o recheio de quatro páginas com o charme da angel da Vicotria’s Secret fotografada por mim em Tulum no México,

 

O lançamento foi ontem na Cozinha 212 e confesso ter ficado muito feliz com quantidade de gente interessante que passou por lá. Muitas pessoas de diferentes tribos que se juntaram pelo proposito de passar lá, me dar um abraço, um beijo, pegar um exemplar e tomar o nosso Rabo de Galo feito com Ypioca 150 e Cynar feito especialmente para a noite para entrar no clima do World Class Competition que rola na semana que vem aqui em SP.

 

Quero agradecer todo o carinho que tive de cada um dos meus convidados. Realmente uma noite para ser lembrada. Muito obrigado por todo o carinho!

 

Abaixo coloco a minha carta ao leitor que conta muito sobre essa edição e quem fez ela possível, e em breve estará nas casas que vocês já estão acostumados a retirar gratuitamente. Se liga na capa e na lista do lugares:

 

Pinheiros | Vila Madalena:

. Cozinha 212

. Barbearia Cavalera

. LIVO Eyewear

. Le Jazz Brasserie

. Le Jazz Petit Bar

. Cutterman Co.

. Liberty Art Brothers

. The Great BarberShop

. Z Deli Sandwich Shop

. Á La Garçonne

. Cartel 011

. Meats

. Guest Urban Hotel

. TanTan Noodle Bar

. Coffee Lab

. Casa Diária

. Escudero & Co.

. Torra Clara Café

. Bar. (Bar Ponto)

. Oriba

. House of All

. Braze Elettrica

 

Jardins:

. Cotton Project

. Chef Rouge

. Z Deli Sandwich Shop

. Frank Bar

. Ema por Renata Vaznetto

. MeGusta Bar

. B. Luxo Vintage Shop

. Ricardo Almeida

. Acaju do Brasil

. Barbearia Cavalera | Oscar Freire

. Barbearia Cavalera | Av. Paulista

. Zwilling

 

Vila Nova Conceição:

. Universo Marx

. GW Studio & Gallery

. BRNC Alfaiataria

. Barbearia Corleone

 

Itaim:

. Barbearia Corleone

. Prime List | Cars & Watches

. Le Jazz Brasserie – Shopping Iguatemi

. Polo Ralph Lauren – Shopping Iguatemi

. Omega - Shopping Cidade Jardim

. Sollotempo | Vintage Watches

   

Bixiga:

. Barbearia Cavalera

 

Centro:

. Verniz SP

. VELA Made in SP

 


Olé Olé Olé

Created: 24 mar 2017  / Categories: Prateleira

Se preparem que no dia 26 de Maio os Rolling Stones irão lançar o documentário Olé Olé Olé com imagens registradas na última turnê da banda pela América Latina no ano passado.

 

O documentário mostra o rolê dos caras pelo continente sul-americano além das tentativas de fazer o show histórico em Havana, que por fim, conseguiram!

Além das imagens documentadas nos backstages e no dia a dia da turnê, o documentário vem com alguns bônus que são registros de algumas músicas em diferentes países:

 

Out Of Control - Buenos Aires

Paint it Black - Buenos Aires

Honky Tonk Women - São Paulo

Sympathy For the Devil - São Paulo

You Got the Silver - Lima

Midnight Rambler - Lima

Miss You - Lima

 

É sempre um prazer ver lançamentos da maior banda de todos os tempos, mas com certeza o que eu mais quero ver são os bastidores de como foi possível fazer o show gratuito em Havana, sendo a primeira vez da banda no país. Olé!


Reputação #1

Created: 14 mar 2017  / Categories: Prateleira

Recentemente a revista Forbes junto ao The Reputation Institute divulgou o ranking das empresas de melhor reputação no mundo. Com isso você deve imaginar inúmeras marcas como Google, Apple e tantas outras que consumimos diariamente, certo?

Engana-se quem pensa dessa forma. Pelo segundo ano consecutivo a Rolex está na primeira colocação da lista deixando Lego, Walt Disney, Canon, BMW e o próprio Google para trás.

 

A notícia veio na semana passada deixando claro que os entrevistados perceberam que a marca suíça de relógios têm produtos de alta qualidade e a enxergam como uma empresa lucrativa e bem organizada.

Diferente de 2016, esse foi o primeiro ano em que a Rolex recebeu mais de 80 pontos na métrica da pesquisa, sendo a única relojoaria e uma das poucas marcas de luxo na lista dos 100 primeiros colocados, ficando ao lado de marcas de consumo diário como as citadas acima e as que estão na lista abaixo.

 

Aquela velha história que sempre digo por aqui de que “o que deu certo no passado, continua dando certo nos dias de hoje”, não é à toa. Essas empresas que chegaram nesse patamar passaram por longos anos de história, marcos, conquistas, altos e baixos e problemas como qualquer outra empresa. A diferença é que elas passaram por cima de tudo isso para chegar aonde chegaram.

Recentemente eu falei aqui sobre a história dos modelos da marca que foram sendo lançados conforme recordes foram sendo batidos, conquistas como a subida ao monte Evereste, os pilotos da PanAm, o primeiro relógio a cruzar o canal da mancha no pulso de uma nadadora, entre tantas outras histórias.
Ou seja, além da qualidade, marcas de luxo que chegam a cobrar caro por seus produtos, não é à toa.

 

Falando nisso, acho que finalmente a Rolex está olhando melhor para os seus modelos do passado – os aficionados já valorizam os modelos vintage há muito tempo. Na última cerimônia do Oscar que aconteceu no dia 26 de Fevereiro, a marca fez um anúncio em homenagem ao cinema mostrando inúmeros filmes em que a marca aparece de forma espontânea. Bela homenagem mas senti falta de ver o Big Crown usado por Sean Connery nos primeiros filmes da série da maior saga do cinema, afinal isso aconteceu lá em 1962 quando Dr. No foi lançado. Aperta play para ver o comercial.


+ Jamiroquai / Automaton

Created: 07 mar 2017  / Categories: Prateleira

Jamiroquai soltou mais uma música do seu novo disco Automaton que você já leram aqui. Cloud 9, que tem o mesmo nome do disco solo de George Harrison de 1987 com o hit I’ve Got My Mind Set on You, segue a mesma linha de músicas presentes em álbuns anteriores do artista. Agora sim voltamos a ver um Jay Kay cheio de swing com a boa e velha batida dos discos da banda após a saída de baixista Stuart Zender em Travelling Without Moving de 1996.

 

No clipe, a velha receita de carros incríveis e mulheres bonitas vista em outros clipes da banda como Cosmic Girl.

 

Aperta o play...

 


O Valor da História

Created: 02 fev 2017  / Categories: Prateleira

Quando se fala de alta relojoaria, muita gente que não está inserida nesse mundo acaba achando que tudo não passa de grandes futilidades e se perguntam por que tais peças são tão caras e muitas outras observações que olhando de dentro não fazem o mínimo sentido até conhecer melhor. Na realidade essas críticas vêm pela falta de informação sobre a manufatura – sim, é um trabalho artesanal, e a história de inúmeras dessas marcas. Essas que hoje estampam anúncios em revistas, algumas com quase um século de história, já foram pequenas, tiveram seu início quando ninguém usava relógio se pulso, um mercado duvidoso do mecanismo à corda para o que chamamos hoje de automático com uma passagem pelo então revolucionário movimento à quartzo nos anos 70 e 80 vindo dos japoneses que quase quebrou a manufatura de relógios suíços.

 

Um fato é que com o passar dos últimos 50 anos, relógio de pulso foi deixando de ser somente um instrumento de medição para também ocupar um lugar como joia para homens. Mulheres têm colares de ouro, pingentes de rubis, anéis com seus diamantes em diferente quilates e lapidações. Homens por sua vez têm relógios.

 

Dentre inúmeras marcas e tantas histórias, achei essa série de vídeos feito pelo site gringo Crown & Caliber que compra e vende relógios usados de procedência. A série conta a história por trás de cada modelo Rolex, sendo ele o Datejust, Explorer I e II, Submariner, GMT Master I e II e o Daytona, modelo que ficou eternamente conhecido como o usado por Paul Newman e hoje um dos mais cobiçados no mundo dos colecionadores de modelos vintage.

 


Jamiroquai is Back

Created: 01 fev 2017  / Categories: Prateleira

Sem dúvida Jamiroquai foi a primeira grande banda gringa que posso dizer que virei fã. Das temporadas fora do Brasil, passando pela época do Mini Disc ouvindo a Synkronized, o quarto disco da banda, Jay Kay, as suas batidas e seu jeitão sempre me fizeram parar para ouvir a assistir. Sejam os falsetes na voz, sejam os passinhos inconfundíveis e até o próprio lifestyle do cantor, com algumas escorregadas é claro.

 

Recentemente, entre uma noite e outra no 212 tive a oportunidade de bater um papo com dois gringos que sentaram no balcão e elogiaram a trilha que estava tocando. Alguma das várias faixas de Jamiroquai que está presenta na playlist do spotify (cozinha 212) soava nas caixas de som até que um deles levantou a bola e disse: ouvi falar que ele está lançando coisa nova.

 

Após um hiato de 7 anos após o lançamento de Rock Dust light Star em 2010, um disco legal porém sem grandes estouros mas que rendera um turnê e sim eu fui ao show dos caras aqui no Brasil, o Jamiroquai lança no dia 31 de Março o álbum intitulado Automaton. O clipe da música homônima está disponível no youtube e no site da banda no jamiroquai.com, além de uma possível pre-order para os mais fanáticos.

 

Aos 47 anos, o cantor britânico ainda mostra swing e seus passinhos no novo clipe da música que tem algumas referências de R&B e uma batida moderna que me lembrou um pouco o universo de Daft Punk em seu último álbum Random Access Memories que também bebeu na mesma fonte dos anos 70, além de uma série homenagens que deixaram claro a volta ao passado.

Confesso que sinto muito falta de mais batidas de música negra que deixaram de aparecer nos álbuns da banda após a saída do co-fundador do Jamiroquai, o baixista Stuart Zender. Era ele o responsável pelo groove e a mistura com a pegada funk de Jay Kay fez da banda um sucesso instantâneo após o lançamento de Emergency on Planet Earth em maio de 93. Álbum e vozes que fizeram a imprensa confundir o som com o do eterno Stevie Wonder.

Zender deixa a banda por motivos ainda questionáveis após o lançamento de Travelling Without Moving de 1996. Portanto as tais batidas deixaram de aparecer desde essa época, evidenciando cada vez mais o estilo mais moderno de um Jay Kay cada vez mais eletrônico. É difícil julgar pois pode ser um processo natural do artista e da música também. Quem sabe um dia a coisa volte ou quem sabe estará escondida nas outras faixas do álbum que será lançado no dia 31 de Março. Não é bem o que parece, mas vamos aguardar.

 

Muito se falou sobre o fim da banda, inventaram histórias, falaram que Jay Kay não tinha mais voz, bla bla bla, ... mas uma informação que eu tinha era clara. Em 92 o Jamiroquai assinou um contrato de 8 discos com a Sony Music. Até a presente data somente 7 haviam sido lançados. Mais cedo ou mais tarde, uma novidade já era esperada e Automaton está aí...

 


Kuikuro | Alto Xingu | Brasil

Created: 31 jan 2017  / Categories: Prateleira

Uma imersão na cultura da etnia Kuikuro do Alto Xingu no Mato Grosso. Os verdadeiros brasileiros que aqui estavam muito antes dos colonizadores chegarem em 1500. De hábitos simples e enormes beleza nos adornos feitos com penas das aves das suas florestas e a tinta feita de jenipapo para desenhar o corpo, a etnia ainda mantém os costumes e a cultura que já vimos se perder um muitas outras. Que se mantenha assim por muito tempo!

 

Agradeço aqui a atenção que tive da Regina Fonseca da Toca da Raposa, seu filho Bruno, a Renata Ganem, a Rita Barreto e ao Felipe Lombardi por ter me levado para ver isso de perto.

Pro fim, o agradecimento mais do que especial ao Kumessi e todos da etnia Kuikuro que me receberam com muito carinho.

 


Sinatra | All or Nothing at All

Created: 26 jan 2017  / Categories: Prateleira

Há exatos 37 anos Frank Sinatra se apresentava no Maracanã no Rio de Janeiro. Um show histórico para 140 mil pessoas no dia 26 de Janeiro de 1980.

Com isso em mente, assisti ao documentário All or Nothing At All do Netflix que conta em dois episódios a vida do que foi o primeiro maior ícone pop dos Estados Unidos. Era para ele que as meninas gritavam sem parar bem antes dos Beatles quando ainda eram uma “boy band” e até mesmo Elvis, o galã da geração seguinte.

 

Ambos episódios mostram alguns lados do artista, não só o do galã, mas a relação com a máfia e com o poder, afinal ele foi peça chave na eleição de JFK a presidente dos Estados Unidos. A relação com inúmeras mulheres, seus quatro casamentos, a vida em família conturbada, seus anseios, a militância contra o racismo, os altos e baixos na carreira de cantor e também de ator, a volta por cima no cinema após o ostracismo arrematando um estatueta do Oscar além de projetos filantrópicos com o qual sempre se envolveu. Um documentário de 4 horas recheado de pequenos detalhes e com muito texto falado nas entrelinhas por pessoas próximas e familiares.

 

A ideia de acompanhar documentários desse calibre é fascinante pelo contexto geopolítico da época. Esse por exemplo conta o nascimento de Las Vegas, como que a “coisa” deu certo por lá, a própria eleição de Kennedy a presidente dos Estados Unidos, os pedidos de JFK a Sinatra para ajuda-lo em praças dominadas pela máfia que não teriam tantos votos ao democrata, além de seu assassinato devido a falta de comprometimento e acordos com a máfia, a guerra do Vietnam, Reagan x Nixon, ...

 

Uma coisa é certa: seja um ícone ou pessoas próximas – até familiares, quando nos deixam se tornam mitos e apenas as coisas boas são lembradas.

Uma imersão no estilo, no jeito e no que veio a se tornar o maior ícone de sua época passando por incríveis quatro gerações até a sua morte em 1998.

Esse é Frank Sinatra em All or Nothing At All do Netflix

 

 


Top