VIC&CO COPYRIGHT 2019. ALL RIGHTS RESERVED.

COMER & BEBER

World Class 2017 | FINAL

Created: 28 jun 2017  / Categories: COMER & BEBER

Mais um ano se passou e chegamos em mais uma final do World Class Competition, maior competição de bartenders do mundo feita pela Diageo.

A cada ano inúmeros bartenders competem com o intuito de tentar levar o caneco e ser considerado #1 do mundo como foi o caso da francesa Jennifer Le Nechet do Café Moderne em Paris na competição que aconteceu em Miami no ano passado.

 

A dinâmica funciona da seguinte forma:

 

- Pré-seleção dos vídeos enviados para o facebook do World Class (clica aqui para entender a dinâmica no site da Veja).

- Competição Regional

- Competição Nacional

- Competição Mundial

 

Hoje já estamos na final nacional e serão 16 bartenders competindo, nove representando o Brasil enquanto quatro, vindos do Paraguai e três do Uruguai. Os dois vencedores garantirão o título de melhor bartender e uma das 55 vagas na etapa mundial, que acontecerá na Cidade do México, de 20 a 25 de agosto de 2017.

 

Entre os finalistas estão:

Brasil:

- Jéssica Sanchez | Vizinho, RJ
- Luciano Guimarães | Pina&Co., Recife
- Gustavo Guedes | Nakombi, Brasília

- Vinicius Kodama | Curitiba

- Diogo Sevilio | Cozinha 212, São Paulo
- Jairo Gama | The Sailor, São Paulo
- Puma Ricardo | São Paulo
- Renan Tarantino | São Paulo
- Ricardo Basseto | Sheraton WTC, São Paulo

 

Paraguai
- Cesar Ocampos

- Nani Peralta

- Ever Portillo

- Nelson Caceres

 

Uruguai
- Giovanni Beron
- Adrian Guedes
- Damian Silva.

 

 

Como um fato inédito, esse ano o World Class Competition será aberto ao público com a ideia de popularizar cada vez mais a cena de coquetelaria que estamos vivendo. A ideia é que além de se divertir – afinal estamos falando de drinques, os amantes desta cena possam conferir de perto o trabalho desses que são considerados os melhores bartenders do Brasil, Paraguai e Uruguai segundo a Diageo.
Além da experiência de participar de uma final desse porte e ver esses caras de perto, o evento traz aulas sobre coquetelaria, atrações artísticas e uma bela festa de encerramento.

Quer ter essa experiência? Se liga aqui embaixo no serviço.

 

 

Serviço:

Data: 06 de julho

Horário: das 19h às 01h30

Onde: Eataly Brazil | Av. Pres. Juscelino Kubitschek, 1489

 

Valor: R$190 com comidinhas Eataly e drinks World Class.

Garanta seu ingresso em Foodpass.com.br/eataly

 

#WorldClass2017

 

Aprecie com moderação. Não compartilhe com menores de 18 anos.


Conhecendo : Chi Restaurante

Created: 21 jun 2017  / Categories: COMER & BEBER

Há mais ou menos 8 anos a rua dos Pinheiros era considerada uma rua difícil, de comércio diurno e que após o baixar do sol, andar por ali não era considerado uma boa ideia. Da nova safra de restaurantes que chegaram a tal rua onde garagens e borracharias reinavam, o Le Jazz foi o primeiro lá em 2010. Conversando com o Gil Leite, um dos sócios do restaurante que hoje conta com quatro estabelecimentos, ele conta que inúmeras pessoas diziam que ele estava completamente louco em abrir um simpático restaurante francês naquela rua. Desbravador? Pode-se dizer que sim, afinal depois dele vieram Z Deli, Meats, Miya, Tan Tan Noodle Bar, Cozinha 212 e toda a cena que hoje envolve Pinheiros e o transforma em um dos bairros mais simpáticos de São Paulo.

 

Na mesma onda, o bairro acaba de receber o Chi, restaurante da simpática competidora do Master Chef Brasil, Jiang Pu. Nascida em Guilin na China, a “chinesinha do Master Chef”, como foi carinhosamente apelidada durante a competição, chegou ao Brasil ainda criança e são receitas do seu país de origem que dão o tom da nova casa.

 

Após três semanas de soft opening, o Chi foi inaugurado oficialmente na última quarta-feira. Com cardápio a preços extremamente convidativos e um simpático ambiente, porém ainda muito claro, me fez lembrar a disposição do Tan Tan de Thiago Bañares que acabou de receber o prêmio de Chef Revelação da publicação Prazeres da Mesa, com a cozinha aberta com um longo balcão que vai dos fogões até o bar de onde saem coquetéis autorais e com ingredientes orientais como o Chinatown, uma espécie de bloody mary com suco de tomate oriental, clamato de hoisin, wasabi, suco de limao e croutons de iriko.

 

Da cozinha, acredito que a ideia é pedir inúmeros pratos para compartilhar como o ótimo Kimchi, a acelga em conserva de estilo coreano (R$8), o Dim Sum do dia (R$10) e o Guioza tradicional (R$15) não agradou tanto quanto o muito saboroso Xiong Mao, o ovo milenar com tofu, alho, gengibre e temperos asiáticos frescos (R$10).

O Bao de Porco (R$17), lanche chinês com pão no vapor, barriga de porco, cebolinha e paçoca é bom como o Lamen Clássico (R$38) com o caldo de shoyu da casa muito bem preparado.

 

 

Serviço:

Chi

Rua Cônego Eugênio leite , 448, Pinheiros

Tel: 11 3062.7350

@chi_restaurante


Torra Clara | Pinheiros

Created: 08 jun 2017  / Categories: COMER & BEBER

Se não o mais, com certeza o Torra Clara está entre os cafés mais charmosos de São Paulo. Com um ar que lembra as cafeterias do Brooklyn em Nova Iorque mas ao mesmo tempo com um frescor que cada vez mais vemos nos espaços aqui no Brasil, o café é mais um desses espaços em Pinheiros que quem toca o negócio são os próprios donos. Douglas e Dani estão diariamente por lá para tirar o seu café fresquinho ou esquentar o waffle feito com massa de pão de queijo. Todas as vezes que passos por lá, em sua maioria pela manhã, peço uma sugestão e sempre vem coisa nova, seja nos diferentes e ótimos grãos moídos na hora ou nos diferentes métodos de coar e servir.

Voltando ao waffle de pão de queijo, não deixe de pedir uma bela colherada de requeijão aviação.

 

Serviço:
Torra Clara
Rua OscarFreire 2286, Pinheiros
Tel: 11 3297.8486
torraclara.com.br


Negroni Week 2017

Created: 06 jun 2017  / Categories: COMER & BEBER

Mais um ano corrido e de repente chegamos em mais uma semana recheada de um dos coquetéis mais clássicos já criado.

A história conta que o Negroni nasce pelas mãos do bartender Fosco Scarselli no então Café Casoni em Florença na Itália em 1919 com o intuito de agradar o seu cliente assíduo, o Conde Camilo Negroni. Hoje em Florença, o então Casoni se chama Café Giacosa e acredito que podemos considerar a “casa” do Negroni.

 

Deixando a história de lado, a terceira edição na nacional do Negroni Week acontece essa semana, de 5 a 11 de Junho, e teve sua “abertura oficial” ontem no SUB Astor com Fabio La Pietra - hoje a frente do bar do Peppino, retornando ao bar que foi seu por longos anos ao lado do Frajola Souza.

 

A semana de um dos coquetéis mais famosos do mundo foi criada em 2013 pela publicação americana Imbibe e pela Campari com o intuito de celebrar o Negroni e de ajudar instituições de caridade nos quatro cantos do mundo.

O ano de 2013 datou o início e até 2016 a Negroni Week foi de 100 participantes para 6.000 mil e já arrecadou U$900.000.

 

 

 

negroniweek.com

 

A ideia é se divertir e ajudar. Se liga aqui na lista das casas participantes em São Paulo:

 

- Astor

- Bar.

- Barê

- Biri Nait

- Bossa

- Brace Bar & Griglia

- Brasserie des Arts

- Bráz Trattoria

- Cateto

- Cozinha 212

- Frank Bar

- ICI Bistrô

- Guartita

- Guilhotina

- Igrejinha

- Jiló do Periquito

- La Macca

- Le Jazz Petit Bar

- MoDi

- MoMa

- Número

- Pátio SP

- Peppino Bar

- Rex

- Ramona

- Riviera

- Ruaa

- Sarau

- Seen

- Side

- Viena Delish


Conhecendo : Quinto La Huella | 2

Created: 11 abr 2017  / Categories: COMER & BEBER

Na semana passada eu fui a Miami a convite da Swire Properties numa parceria entre a TL Portfólio e a OWT Boutique Travel Agency. A ideia central? Entender o que esse grupo que tem sede na China tem feito na região de Brickell em Miami. Antes considerada uma região voltada ao mercado financeiro onde após o cair da noite, somente algumas das luzes dos próprios edifícios se mantinham acesas enquanto as ruas estavam vazias e sem movimento. Sem dúvida um novo cenário está sendo construído por lá e é isso que irei contar ao longo dessa e da próxima semana por aqui.

 

Entre algumas das ideias, uma delas foi fotografar o Quinto La Huella, irmão do Parador La Huella de José Ignácio em Punta del Este. No ano passado quando estive em Miami para acompanhar a final mundial do World Class, o maior campeonato de coquetelaria do mundo realizado pela Diageo, em uma das poucas horas vagas eu consegui escapar para conhecer tanto o Quinto La Huella como o Los Fuegos de Francis Mallmann, ambos restaurante que usam fogo como um dos principais elementos de suas cozinhas.

 

O resultado completo das fotos está em Portfólio na sessão “Pelo Mundo”. Clica aqui.

 

Serviço:
East Miami / Quinto La Huella

788 Brickell Plaza

Miami, Florida

+ 1 786 805 4646

quintolahuella.com

 


Conhecendo : Tanit

Created: 21 mar 2017  / Categories: COMER & BEBER

Lembro de ter conhecido Oscar Bosch há mais de 5 anos quando ele tocava a cozinha do extinto Fish Bar & Gastronomia que ficava na Alameda Tietê nos Jardins. O conheci através de amigos e lembro de ter saído extremamente feliz do restaurante que deixou saudade pela comida mas não pelo ambiente frio.

 

Sem dúvida a cozinha de Oscar é de se admirar. Primeiro pelo seu passado na Catalunha, o seu estilo e jeito de trabalhar – calmo, focado e sabe bem o que está fazendo, além de ser de uma família de cozinheiros, proprietários do Can Bosch e donos de 1 estrela Michelin em Cambrils em Tarragona na Catalunha. Tudo bem que tenho um carinho especial pela região da Espanha que veio dos saudosos e eternos Francesc Petit e Dona Inês. Agradeço aqui os aprendizados que vão das simples coisas da vida a um ótimo aioli com bastante alho.

 

Junto com o furacão da abertura da Cozinha 212 em maio do ano passado, Oscar também estava abrindo o seu Tanit, restaurante que tem uma bandeira mediterrânea mas é a cozinha espanhola que mais tem brilho por lá - chorizo, morcilla, gaspacho, ...

Confesso que demorei para conhecer, mas hoje temos esse conhecendo, mostrando um pouco dos pratos que fazem parte das entradas do já não tão novo espaço de Oscar.

Localizado no final da Oscar Freire, o ambiente de pé direito alto tem muita madeira na decoração e linhas modernas de estabelecimentos assinados por arquitetos dos dias atuais. Ainda não consegui ir a noite, mas a ideia de tomar um bom vinho, comer pequenas porções e sentar no parklet também em madeira que fica na frente do restaurante, não me parece má ideia.

 

Serviço:

Tanit
Rua Oscar Freire, 145, Jardins

Tel: 11 3062.6385

restaurantetanit.com.br

@restaurantetanit


Conhecendo : Peppino Bar

Created: 08 fev 2017  / Categories: COMER & BEBER

Se tem uma coisa que muita gente que foi a Cozinha 212 me disse é que o novo bar comandado por Rodolfo De Santis e Fabio La Pietra está sempre lotado.

Ambos de herança italiana, Rodolfo já tem o seu case de sucesso na esquina de baixo no Nino Cucina e La Pietra vem da escola da Cia. Tradicional de Comércio onde ficou por muitos anos a frente do bar do Sub Astor.

 

Aproveitei para conhecer o lugar na última segunda-feira... pensando bem, segunda é sempre bom sair para conhecer lugares novos. Mais vazios, mais calmos e sem aquele zum zum zum que chega às quintas e perdura até o domingão. Um dia que dá para você entender melhor o espirito da casa e o que ela se propõe a ser.

 

Sem dúvida o lugar para sentar por lá é na barra. O balcão se estende da entrada até o forno de onde saem as focaccias e alguns dos outros pequenos clássicos italianos. São poucos os que ultrapassam a faixa dos R$30. Os drinks saem por R$29, sendo um preço fixo tanto para os signatures cocktails de La Pietra como as releituras dos clássicos. Se não me engano a carta conta com 28 drinques. Tomei três que estavam muito bem alinhados e apresentação delicada. A ideia era sair para tomar um drinque, mas chegando lá Rodolfo foi mandando algumas coisas que a noite de segunda acabou mais com cara de jantar do que uma noite etílica. Válida também! Não deixe de provar o crudo de carne, o tartar de beterraba e a foccacia de aliche argentino. Deixe de lado as coxinhas que ainda estão massudas - que Rodolfo disse que ainda estavam chegando na receita ideal, e finalize com a única sobremesa da casa. Um biscoito de sorvete com uma calda de chocolate de lamber os dedos.

 

Voltando ao bar. Confesso que fiquei observando La Pietra fazer seu belo trabalho. O jeito de comandar a equipe do bar, a forma como entra e sai da área de trabalho para atender clientes, a elegância, tanto no estilo como nas palavras. Me deu gosto de ver um chefe de bar assim!

 

Vida longa Rodolfo e Fabio!

 

Serviço:
Peppino Bar
Rua João Cachoeira, 175, Itaim.
Tel: 11 2157-0720
peppinobar.com.br


Oyster’s & Negroni’s | Maison Premiere

Created: 03 fev 2017  / Categories: COMER & BEBER

Hoje mostro algumas fotos que fiz no Maison Premiere, um dos bares que mais admiro em Nova Iorque. Com pegada de proibição dos anos 20, a casa leva o estilo da época em todos os pequenos detalhes. Desde os suspensórios dos garçons que não é somente um uniforme e que eles carregam da porta para fora, passando pelos drinks que seguem a linha da época, as torneiras no centro de um dos bares mais bonitos que já vi, os ínumeros tipos de ostras que você pode escolher marcando no papel que o bartender te entrega ao sentar...
Ainda não tive a chance de almoçar nem jantar por lá... através do instagram dos caras é possível entender melhor a proposta dos pratos, ambiente e estilo da casa. Fica ligado no @maisonpremiere.

 

Serviço:

Maison Premiere
298 Badford Ave. Brooklyn | NY
+1 347 335 0446

maisonpremiere.com

 


Experiência Hartwood

Created: 30 jan 2017  / Categories: COMER & BEBER

Desde a minha primeira ida a Tulum em 2015 a dica que prevalecia no âmbito gastronômico era o Hartwood. Restaurante mais disputado da região e considerado pelos locais e gringos como the gem of Tulum.

Ao chegar, logo soube que estavam fechados para a temporada e ficou somente a lembrança das pessoas que haviam me dito que eu não poderia deixar de ir.

Com isso, busquei algumas coisas na rede sobre o projeto de Eric Werner, a sua história ao lado da mulher em uma ida a Tulum para nunca mais voltar e viver em paz, cozinhando em um povoado Maia.

Encontrei no amazon.com o livro que conta a história, algumas receitas e a essência do Hartwood através de belas fotografias. Vale a compra!

Além disso, as poucas porém interessantes entrevistas que achei no youtube, valem a pena assistir, em partícula a do canal Cook It Raw.

 

Finalmente, pouco mais de um ano depois voltei à península de Iucatã e sim eles estavam abertos com alguns dias fechados aqui e ali. Através de uma mensagem e o e-mail que os caras disponibilizam no site para fazer reservas, a informação era que estavam cheios até o dia 9 de janeiro. Como o meu retorno para São Paulo estava previsto para o dia 10, a coisa poderia ficar apertada.

Portanto no dia 6 de Janeiro, um dia após a primeira noite de abertura no dia 5, tivemos a primeira cartada e sim, com sucesso.

 

Com a abertura da casa prevista para às 5:30pm, chegamos por lá às 4:00pm para tentar alguma coisa na cara dura. Com um sorriso no rosto, avisamos que o nosso grupo de 6 pessoas queria muito comer naquela noite. A menina que nos atendeu informou que ainda não poderia colocar o nome na lista e que isso somente poderia ser feito pouco antes do horário de abertura da casa, quando se estende uma fila com mais ou menos 30 pessoas diariamente. Saímos então para bater perna pelas lojas da charmosa e única rua de Tulum Playa. Voltamos no horário previsto e a fila era imensa. Uma certa ansiedade bateu: primeiro devido a quantidade de gente. A simpática menina que havia nos atendido minutos antes nos avistou e confirmou com a cabeça afirmando o número 6 referente ao nosso grupo. Ufa! Segundo que dependíamos de uma desistência de reserva sendo a primeira mesa na linha. Sim, a reserva não veio e fomos os únicos da enorme fila que conseguiu sentar! Check!

 

Diga-se sorte ou não, as fotos mostram um pouco do que foi a experiência por lá além do mood do restaurante. Confesso que gostaria ter feito mais fotos dos pratos impecáveis, mas com o cair da tarde, a luz caiu junto.

Falando de pratos, como estávamos em 6 pessoas, pedimos o cardápio inteiro e sim, uma mistura rica de sabores não convencionais usando e misturando ingredientes locais e orgânicos. Me chamou atenção o modo como é feita a ordem dos pedidos. Com a abertura da casa, um garçom chega a primeira mesa com a lousa que mostra o menu do dia e ali são pedidas as entradas e pratos, indo até a última mesa. Ou seja, um trabalho estudado e constante da cozinha sem acavalar pedidos e com menos chances de erros. Isso é bom também na hora de rodar a mesa ao final do serviço. Portanto se já comeu, pode sair e dar espaço as outras pessoas que seguem na fila desde às 5pm.

Não deixe de finalizar com o café da casa: coado e com uma dose de mezcal servido frio em um copinho.

 

Serviço:

Hartwood Tulum

Carretera Tlum Boca Paila, 7.6km

hartwoodtulum.com


Top