@victorcollor no Instagram


Artigos da categoria: PRATELEIRA

Aos amantes de 007 como eu, o London Film Museum abriu recentemente a exposição Bond In Motion que nada mais é do que a junção de todos os carros e objetos de transporte usando por James Bond desde o Satânico Dr. No de 1962. Genial, não?

Tudo o que está lá é original e foram usados nos sets de filmagem. Desde o clássico Aston Martin DB5 usado por Sean Connery, passando pelo jato propulsor de Thunderball, o mini helicóptero Little Nellie em You Only Live Twice, e indo até o novo Aston Martin DBS V12 em Skyfall.
E não ache que são os modelos estão 100% novos, entre eles está o Aston Martin que Daniel Craig destrói na abertura de Quantum of Solance.

Olha que demais os vídeos que mostram como está a exposição e se você estiver por ai nessa temporada, não deixe de conhecer a exposição que fica aberta até março de 2015.

Para ficar por dentro de mais informações, horários e entradas, clica aqui para entrar no site do London Film Museum.

Screen Shot 2014-08-29 at 12.44.48 PM

1bf148fc7a6449161b32e313fc564b54

bf6f6fe7ee15ecdc5bda27dda8187a3c

Sim, o DB5 é um “brinquedo” que eu gostaria de ter.

Imagens: Reprodução

VC_-27082014IMG_6835

Hoje pela manhã fui ver de perto a exposição “In Your Face” de Mario Testino na FAAP.
Recebi o convite da assessoria e por algum motivo, achei que seria hoje a noite. Pior que isso, perdi de ver Testino explicando suas fotos e cada detalhe da exposição por ter chegado atrasado. Legal né? rsss

Mesmo assim foi ver de perto o trabalho de um dos fotógrafos mais icônicos dos nosso dias. Tem Gisele bem antes de ser conhecida como Über Model, Kate Moss, Nathalia Vodianova, Gaga, J Lo e mais um monte de gente legal que o fotógrafo registrou ao longo da carreira, sendo a exposição uma espécie de “retrospectiva recente”.

Achei genial a mistura de trabalhos. A exposição vai desde as campanhas para Gucci, Tom Ford, passando por editoriais para Vogue, Vanity Fair e indo até os seus snapshots de momentos divertidos de pessoas bem legais. Esses snapshots entrariam fácil no Tumblr que tem essa pegada, lembra que falei aqui?
Achei genial elevar esse tipo de foto à exposição, afinal, foto boa é foto boa, independente se teve cliente por trás, uma mega equipe ou até mesmo uma super produção. O que vale é o registro daquele momento que só fica na cabeça de quem viveu… ou para quem estava com a câmera na mão, na hora e lugar certos, como é o caso de Mario Testino.

Presta atenção na iluminação que está impecável. A luz ilumina somente o quadro, deixando o entorno escuro como dá para ver nas fotos abaixo. Achei que dá um efeito tridimensional ao trabalho. Além disso um ponto alto são as impressões que em muitos dos retratos, estão com mais de 1,5m. Corre lá pra ver que vale muito a pena!

A exposição que abre oficialmente amanhã em um cocktail para convidados, estará aberta ao público do dia 29 de Agosto a 12 de Setembro e conta com mais de 100 fotos do fotógrafo peruano.

Serviço:
MAB > FAAP / Fundação Armando Álvares Penteado
Mario testino – In Your Face
Rua Alagoas, 903, Higienópolis
faap.br/museu

Terça a sexta-feira, das 10h às 21h
Sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h
Entrada Gratuita

VC_-27082014IMG_6829

VC_-27082014IMG_6822 VC_-27082014IMG_6824 VC_-27082014IMG_6825 VC_-27082014IMG_6826 VC_-27082014IMG_6828 VC_-27082014IMG_6830 VC_-27082014IMG_6832
Sempre bom ver de perto um trabalho assim.

Fotos: @victorcollor

 

O que fazer com um punhado de fotos de mulheres lindas, bem gostosinhas e muitas vezes só de calcinha e sutien?

Acredito que deve ter saído dessa pergunta a ideia da Victoria’s Secrete em criar uma conta no Tumblr para estampar suas Angels do jeito que a gente gosta.
Ele acabou de sair do forno e ainda tem pouca foto, mas acho que em breve o recheio deve aumentar para a felicidade dos homens… ah, e de algumas mulheres também né.

Clica AQUI para navegar.

Screen Shot 2014-08-20 at 10.59.28 AM

Screen Shot 2014-08-20 at 10.40.15 AMtumblr_n9uhouCtPM1tfvv30o1_r1_500

Um dos últimos updates do Tumblr foi o vídeo que conta com Lily Aldridge bem gostosona na cozinha… confesso que iria ficar muito puto se tudo isso acontecesse na cozinha do 212, mas uma coisinha assim cozinhando de calcinha e sutien não é todo dia. Confesso que eu já tive umas assim fazendo miojo… ao menos a sobremesa foi a cereja do bolo…

Incansável!

Fotos: Reprodução

Lembra da última exposição que o meu querido Gabriel Wickbold fez intitulada Naive la em 2012? Pois hoje, em 2014, Gabriel apresenta Sans Tache, do francês, sem marcas.

db046b69cd3031efd35e491707ef3d7f

A exposição de toda a série rola hoje na galeria Lume aqui em São Paulo e mostra corpos que segundo Gabriel, parecem estar embalsamados e voando tendo sofrido o passar do tempo que não existiu… tudo como uma crítica à forma perfeita que nós fotógrafos produzimos e finalizamos imagens com a ajuda do photoshop, com o intuito de deixar tudo mais perfeito, eliminando essas marcas, que só o tempo é capaz de dar, mas nunca tirar. No vídeo ele explica melhor sobre o processo de produção que vai além de fotografia, e sim, mais uma vez, mostra que ele não é só fotógrafo, mas sim um artista completo que usa da fotografia para expressar o jeito que ele enxerga determinados elementos externos, como no caso, misturar fotografia com grilos, fogo e lixa. Se liga aqui para entender melhor e enxergar o resultado final de algumas obras que têm tamanho real.

eb4419a0ba62a0049d59d34f5331e286

Fotos: @GabrielWickbold

Serviço:
Exposição Sans Tache / Gabriel Wickbold
Galeria Lume
R. Joaquim Floriano, 733 – Itaim Bibi
galerialume.com

Vocês viram aqui a minha “relação” com John Mayer e a entrevista que ele deu para o site Hodinkee falando de sua coleção de relógios, lembram?
Pois dando minhas voltas, achei esse vídeo que mostra a construção da capa de Born And Raised, penúltimo álbum do cantor.

Olhando de longe, parece um simples trabalho de Indesign ou Illustrator, mas a coisa é mais séria e vocês vão entender por que. Simplesmente fiquei babando com o trabalho de David A. Smith. Tudo feito manualmente, desde os primeiros estudos em papel manteiga feito a lápis, às pinceladas com canetas e pincéis específicos, aos primeiros traços de cor, passando pelo manuseio de folhas de outro para dar o acabamento, e indo até o polimento e todos os pequenos detalhes que fizeram a capa ter essa cara da era Vitoriana ou até mesmo meio velho oeste, wild wild west e essa pegada western que tenho curtido bastante. Lembram da Trilogia dos Dólares com Clint Eastwood e Sangue Negro que vocês também viram aqui?

Trabalho simplesmente genial, extremamente delicado, de tirar o chapéu e claro, cada vez mais difícil de encontrar nos dias tão “chineses” que estamos vivendo… se liga nos quase 18 minutos e assiste em tela cheia com volume para entender a delicadeza e a perfeição cada detalhe do trabalho de Smith. Vale a pena!

Screen_Shot_2013-02-28_at_2.31.52_PM

david_smith2-460x345

david_smith7-460x345

b1 [Converted]

Para ficar ligado ainda mais no trabalho se liga no site dele clicando AQUI.
David A. Smith já fez trabalhos para o Kings Of Leon e Jameson também, olha os vídeos aqui embaixo… mais curtos dessa vez:

Cheers!

Imagens: Reprodução

thethomascrownaffair

Depois de anos na lista, finalmente assisti a The Thomas Crown Affair (Crown, o Magnífico) nesse fim de semana. Lembro ainda quando comprei o DVD e ele sempre esteve ali para ser assistido e foi ficando de lado. Hoje depois de ter assistido, considero um erro brabo! Demorei ainda mais porque um tal dia resolvi emprestar o DVD para ma amiga, e vocês sabem como são essas coisas de emprestar DVD, CD e livros, certo? Vão ficando, esquecemos de pegar/devolver e por ai vai…

Com o amor que tenho por 007, lembro que la em 1999, assisti ao remake Thomas Crown Affair (Thomas Crown, A Arte do Crime) com Pierce Brosnan – na época o atual James Bond.
Com isso veio o carinho por Nina Simone, Sinner Man, Magritte e todas essas pequenas coisas que o remake nos apresenta, e por esse e outros motivos, vale a pena assistir aos dois.

Ontem finalmente com a ajuda da Apple TV consegui entender mais sobre o King of Cool, também conhecido como Steve McQueen. O filme original de 1968 tem, ao invés de Brosnan, McQueen na pele do milionário cansado da rotina “arroz com feijão” que resolve assaltar um banco e sim, ele dá muita risada disso tudo isso.

UKquad
thomas-crown-affair-steve-mcqueen-blu-ray-movie-title

Achei vários detalhes que obviamente faz com que o filme seja melhor do que o remake. Em primeiro lugar temos Steve McQueen a bordo de paletós muito bem cortados, abotoaduras que fazem a diferença e claro, na primeira cena do filme, o “check” no relógio de bolso guardado em um dos bolsos do colete.
A coisa vai além com o Persol dobrável e com lentes azuladas, que hoje carrega seu nome em uma nova edição da marca. Essa peça é considerada objeto de desejo pra mim e para vários outros que curtem o lifestyle por trás do ator que simplesmente é dito ser o ” King of Cool”…  acho que dispensa mais comentários e mais apresentações. Lembram do post que falei sobre os óculos aqui?

No filme, Faye Dunaway está um “coisinha” de linda e charmosa… presta atenção em como ela ascende um cigarro e o momento alto da Dunaway/McQueen enquanto jogam xadrez por vários minutos sem sequer um diálogo e com um jazz magnífico no fundo…
Ela ainda aparece no remake, sendo a psicóloga de Pierce Brosnan… genial essa mistura do velho com o novo!

picmovie1

Separei aqui algumas fotos de McQueen para servir de referência para vida de qualquer homem que curta esse estilo. Mas de qualquer jeito a dica é assistir ao filme e ver os trejeitos, como ele fuma o charuto, o jeito que ele dirige o buggy e o Rolls Royce, como ele olha para Faye Dunaway, os sorrisos de canto de boca… enfim, assista!

thomas-crown-affair-steve-mcqueen-style-30mcqcrown tumblr_lqf23hqASQ1r0kzc7o1_1280 thomas-crown-affair-steve-mcqueen-style-20steve-mcqueen-affaire-thomas-crownThomas_Crown_1968_35color+car+crop faye-dunaway-the-thomas-crown-affair Style-in-film-Steve-McQueen-in-The-Thomas-Crown-Affair-1The_Thomas_Crown_Affair_4326_Mediumsteve-mcqueen-thomas-crown-affair-2

Referência para a vida!

Fotos: Reprodução

Mais e mais historias de relógios, que para muita gente acaba parecendo somente um nome. Esse e o caso do Rolex Daytona.
Como é bom entrar nesse mundo e entender a história desses pequenos notáveis. Quando comecei a me interessar por relógios, o tal do Rolex Daytona era somente mais um relógio que filhinhos de papai almejavam pelo o que ele representava socialmente, status a por fim, estilo, tendo essas duas primeiras como 90% de seu desejo.

Rolex-Daytona-Replica-18

A história é muito mais complexa e vocês vão entender o por que. Recentemente falei aqui sobre a historia do Oyster e o mundo interessante por trás dele a os marcos que a Rolex conquistou ao longo dos anos, chegando a status de relógio e marca mais desejados do planeta.
Foi na década de 30 que o automobilismo caiu nas graças do mundo e com isso o inglês Sir Malcolm Campbell conhecido como ” The Speed King” bateu 9 vezes o recorde de velocidade em terra, sendo cinco deles conquistados na praia de Daytona, na Flórida, nos EUA, a bordo do seu “Blue Bird”, sendo o primeiro homem a atingir 300 milhas por hora. Tudo isso a bordo do seu rolex Oyster que vocês viram aqui. É ai que a história tem início e foi no fim daquela década que a marca apresenta o primeiro cronógrafo e claro, a prova d’água, até então patente da marca.
Na entrevista que vocês viram aqui, John Mayer fala sobre e compara um cronógrafo, calendário, GMT, e todos esses extras em relógios como se fossem App’s da época. No caso o tal relógio vinha com um extra fundamental, um dos App’s mais desejados para quem praticava esportes de alta velocidade na época, o tacômetro. Uma escala numérica para medir a velocidade em uma distância pré-estabelecida, como uma milha medida em uma rodovia. Legal né?
São esses os vários pequenos números em volta dos ponteiros que muita gente não tem ideia para o que serve.

O termo Daytona aparece em 1962 quando é criada a corrida chamada “As 24 horas de Daytona” e um ano depois, em 63, a marca lança o Cosmógrafo e a história corre até chegar no relógio que hoje é uma jóia quando falamos em alta relojoaria… o Rolex Daytona “Paul Newman”.
Por ter usado um Daytona com um mostrador especifico, hoje se tornou o relógio que leva o seu nome e comparando aos outros modelos da Rolex, é um dos mais caros, afinal estamos falando de algo que só existe no pulso de quem tem ou de quem tá vendendo… nada de coisa nova, feita nos dias de hoje.
Volto a dizer… por esse e vários outros motivos, curto muito as coisas antigas e o valor que elas vão carregando ao longo dos anos… o antigo de hoje em dia, continuará sendo o antigo do futuro. Um exemplo claro são os carros antigos e os carros dos dias de hoje, que com toda tecnologia por trás, vão virando sucata após poucos anos de uso, comparado a um Porsche dos anos 70 por exemplo, que até hoje continua com design moderno, almejado e funcionando…
Concordam?

Olha as fotos das raridades da época, a diferença entre um Daytona Normal e um Paul Newman e claro, o vídeo que a Rolex fez contando o “Spirit of  The Rolex Daytona”


Rolex Daytona “Paul Newman”

6263pn-0-1 6263pn-8 6263pn-2-1

Paul-Newman-Presented-By-Rolex tumblr_m78k21SxFa1rskv9do1_500 Dec 2008 Auction

 

 

Rolex Daytona (mais recentes)

RolexDaytona16520_04_zps3f3bc7a8

blaken-rolex-daytona-2

Agora faz a comparação e me diz se o antigo não é muito mais legal?

Imagens; Reprodução